Agricultor alerta vereador Diogo Senior para o risco de desabastecimento da agricultura familiar em Macapá.

por Danielle Duarte última modificação 16/03/2017 15h26

“A menos que haja uma intervenção forte do Poder Público, daqui há cinco anos pode até faltar cheiro-verde na mesa do macapaense", adverte o agricultor Otávio Almeida.
A advertência foi feita ao vereador Diogo Sênior (PMB), durante visita à plantação de hortaliças, localizada no bairro das Pedrinhas, Zona Sul de Macapá.

Em uma área extensa, com a ajuda da esposa e dois filhos, seu Otávio cultiva salsinha, pimenta-de-cheiro, sendo o “carro-chefe” do plantio, o cheiro-verde e a alface. Após o cultivo, sua esposa separa as hortaliças e seus filhos saem distribuindo nos comércios, no entorno dos Bairros, Pedrinhas, Jardim Equatorial e Jardim Marco Zero.

Em conversa, o agricultor reclama da falta de incentivo dos gestores públicos, para continuar o trabalho que ele faz com a ajuda da família. “Eles precisam olhar mais para a agricultura familiar, porque ela garante o sustento de muitas famílias, abastece o comércio local e movimenta a economia, mas precisamos de capital para manter o plantio”, explicou o agricultor.

Outro exemplo é a situação do Pólo hortifrutigranjeiro de Fazendinha que está enfraquecendo. A falta de apoio e de recursos têm reduzindo a produção agrícola local. A ausência de uma creche na região é outro agravante, pois a maioria das mulheres que vivem no pólo, são responsáveis por grande parte da produção, e por não ter onde deixar seus filhos, ficam por vezes impedidas de ajudar no plantio e na venda de seus produtos. Muitas são obrigadas a levar seus filhos para as feiras, submentendo-os às condições desumanas, para garantir o sustento da família.

Dados nacionais apontam que em alguns Estados, onde o agricultor dispõe de linhas de créditos para financiar o agronegócio, a agricultura familiar é bem desenvolvida.

No Amapá a agricultura familiar é mantida através do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e executado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural (SDR), em parceria com a Secretaria de Estado de Inclusão e Mobilização Social (SIMS).

Sensibilizado com a questão da agricultura familiar em Macapá, o vereador Diogo Senior colocou o seu mandato à disposição dos agricultores locais para fazer uma busca em programas de incentivo, e prometeu criar uma agenda para discutir os problemas com as autoridades do Executivo e com órgãos ligados ao tema.

O vereador disse ainda que estará sempre vigilante para defender os interesses do cidadão amapaense, que tanto clama por melhorias e qualidade de vida.