Guarda Municipal é tema de reivindicação na CMM

por Danielle Duarte última modificação 04/06/2018 13h34

Os vereadores de Macapá, debateram durante a 22ª reunião ordinária realizada em 22 de maio de 2018, 74 proposições, entre projetos, indicações e requerimentos, com destaque para solicitações de serviço de iluminação pública, pavimentação asfáltica e terraplanagem.

O destaque desta sessão ordinária foi a presença de João Evaristo Avelar, presidente do Sindicato da Guarda Civil Municipal de Macapá (GCMM). Ele veio a convite da vereadora Patriciana Guimarães (PRB). Avelar exibiu uma lista de reivindicações urgentes para a categoria, que há seis anos vem buscando soluções para atender a esses apelos.

Avelar anunciou que hoje, o contingente da Guarda Municipal é composto de 500 guardas e 46 inspetores. O ideal, para atender a necessidade da população do município, será no mínimo de 1.300 guardas, que depende de concurso público.

Emenda- Patriciana Guimarães informou que foi aprovada a Emenda impositiva no valor de R$ 500.000,00 e até hoje esse recurso não foi disponibilizado para atender a categoria. O Presidente do Sindicato informou que o Comandante da Guarda já apresentou ao prefeito a planilha de necessidades de material, para a devida aplicação desse recurso, ainda em estudo pelo Poder Executivo Municipal.

Avelar lista como urgente suprir a falta de armamento adequado e eficiente para combater o crime. “Temos cassetete e pistola Taser, arma de choque elétrico, mas 80% está danificada, por falta de um local de armazenamento e manutenção adequados. Enquanto os bandidos atuam com armas com alto poder de fogo”, denuncia Avelar.

Sucateada- São seis anos pedindo o apoio da CMM. “Não temos Quartel. Aguardamos o resultado da permuta com a Justiça Estadual para a aquisição de um prédio onde será erguido o QG. Salários defasados e deficiência de veículos suficientes para atender às necessidades. “Falta tudo. A GCMM está sucateada. Sem material de expediente, água e sistema de comunicação eficiente”, desabafou. O vereador Yuri Pelaes (MDB) defendeu o uso de armas de fogo pela Guarda Municipal.

Secretaria de Comunicação/SECOM/CMM.