Alexandre Azevedo aprova Futlama como Patrimônio Cultural Imaterial de Macapá

por Sec. Comunicação publicado 05/05/2021 16h21, última modificação 05/05/2021 16h21

A Câmara Municipal de Macapá aprovou, por unanimidade, Projeto de Lei do vereador Alexandre Azevedo (PP), que declara Patrimônio Cultural Imaterial do Povo de Macapá o Jogo de Futebol Futlama. A matéria foi apreciada durante a 16ª sessão virtual desta terça-feira, 4 de maio.

A proposta define que o Poder Executivo apoiará as iniciativas que visam à valorização e divulgação desse esporte macapaense, bem como as competições a serem realizadas exclusivamente às margens do Rio Amazonas. Segundo o vereador, a iniciativa visa exclusivamente preservar a cultura do macapaense na prática do futebol às margens do referido rio.

Alexandre Azevedo justifica que a modalidade nasceu decorrente de uma costumeira recreação nos fins de semana. “O Futlama, tornando-se Patrimônio Cultural Imaterial do Povo de Macapá, tem a possibilidade de despertar na população, nas autoridades e nas instituições a visibilidade da modalidade como identidade esportiva própria, passando a ser um dos meios de inclusão socioeducativa e promoção turística da nossa cidade”, argumentou.

O nome Futlama se dá por se tratar de uma partida de futebol realizada em um campo que, em vez de grama, areia ou cimento, é completamente tomado por lama. A atividade adquiriu notoriedade no cenário nacional e internacional, por possuir características únicas na região.

A modalidade é praticada há muito tempo no Amapá, mas foi em 2007 que o Futlama se consolidou com a criação da Federação Amapaense. “Antes mesmo de ter bola, as pessoas de gerações passadas utilizavam a Aninga, uma planta aquática encontrada na beira do Rio Amazonas, e que servia como bola. Quem chegava logo pegava a Aninga e começava a jogar. O Futlama é uma pelada onde a maré é quem decide o horário das partidas”, conta Alexandre Azevedo.

Secom/CMM