Câmara Municipal retorna às sessões ordinárias com muitas demandas.

por danielle.duarte — publicado 20/08/2015 14h34, última modificação 20/08/2015 14h34

                    A Câmara Municipal de Macapá retornou do recesso legislativo, na manhã desta terça-feira(11), com a realização da 30ª. Sessão Ordinária do ano de 2015.

                   A sessão desta terça-feira prestou homenagem aos advogados, estudantes e garçons, pela passagem da data comemorativa, ocasião em que o advogado e ex-deputado estadual, Paulo José, fez parte da mesa, como convidado especial da presidência.

Tribuna

                  Para marcar as homenagens aos advogados com jurisdição em Macapá, o advogado e ex-deputado estadual Paulo José, pai da vereadora Adrianna Ramos(SD), usou a tribuna da Câmara Municipal. 

                   Segundo o advogado Paulo José, muitas das vezes o advogado é mal interpretado quando se propõe a defender os direitos de um cliente.                          “Não é o advogado que autoriza a soltura de um preso, mas sim o magistrado”. 
                 “Ser advogado no Brasil é motivo de orgulho para mim, poder atuar na defesa dos cidadãos brasileiros e dos seus direitos legais”. Disse Paulo José.

           O presidente da Câmara Municipal de Macapá, vereador Acácio Favacho(PMDB), enalteceu a todos os advogados da capital, reconhecendo a importância da profissão para o fortalecimento da democracia e do estado de direito. 

            Favacho também manifestou votos de reconhecimento aos estudantes e garçons de Macapá.

                  O professor Rodrigo Souza Gomes, membro da pastoral da família no Amapá, da Diocese de Macapá, leu uma mensagem do bispo Dom Pedro Conti, alusivo a Semana Nacional da Família, que tem como tema “O amor é a nossa missão: A família plenamente viva”.

               O vereador Alan Ramalho(PSB), usou a tribuna e chamou a atenção sobre o caso dos 323 servidores da área de saúde, lotados no Estado que hoje estão a disposição do município de Macapá.

              Segundo o vereador, o GEA ameaça cortar os benefícios de insalubridade e gratificações de servidores que não aceitarem ser remanejados de volta para o Estado.

                 Os servidores atuam nas Unidades Básicas de Saúde, e, segundo o vereador a saída dos profissionais pode prejudicar o funcionamento das unidades.

                      O presidente da Casa, vereador Acácio Favacho(PMDB), disse que vai falar pessoalmente com o secretário estadual de saúde, Teles Junior, para buscar uma solução sobre essa problemática. Afirmou também que, vai solicitar uma audiência com o governador do estado, Waldez Góes, para tratar sobre este assunto.

                     “Já estamos numa situação difícil na área de saúde pública e com a saída desses servidores, é provável que ocorra o fechamento de no mínimo cinco UBS de Macapá e, não queremos que isso ocorra de jeito nenhum”. Alertou o presidente.

                Durante o grande expediente, foram lidos várias indicações e requerimentos que visam a melhoria da qualidade de vida da população.