Marcelo Dias promove debate na CMM sobre Fibrose Cística

por Adriana Stephanie Amoras Ramos publicado 01/10/2019 12h29, última modificação 01/10/2019 12h29

Melhorar o atendimento aos pacientes com Fibrose Cística e a imediata implantação do diagnóstico da doença no Estado, foram algumas das propostas defendidas durante a audiência pública ocorrida nesta segunda-feira, 30, no plenário da Câmara Municipal de Macapá.

O vereador Marcelo Dias, autor do requerimento aprovado em plenário que deu origem ao debate, defende que tanto o Governo do Estado, quanto a Prefeitura de Macapá, reforcem as políticas públicas e as ações voltadas para a prevenção e o combate a Fibrose Cística. “Os debates a respeito deste grave problema de saúde pública devem acontecer com frequência. A fibrose cística precisa ser amplamente divulgada para que as pessoas conheçam a doença e saibam por onde começar, caso tenham algum familiar ou amigo com o diagnóstico precoce da doença”, reforça Marcelo Dias.

TESTES – A presidente da Associação Amapaense de Assistência à Mucoviscidade (AAPAM), Ana Carolina Monteiro de Menezes, luta pela oferta do teste do pezinho na rede municipal de saúde, um dos testes capazes de diagnosticar a doença. Ela também reclama da falta de um Programa Estadual de Prevenção a Fibrose Cística, que ofereça o chamado teste do suor, outro método utilizado para diagnosticar a Fibrose Cística. “O Amapá ainda não faz o diagnóstico da doença, isso exige a transferência do paciente para diagnóstico e tratamento no Estado do Pará”, sintetiza Ana Carolina Monteiro.

Uma das palestrantes durante a audiência pública, a médica Valéria de Carvalho Martins, especialista em Fibrose Cística, lamenta que os testes básicos para diagnosticar a fibrose cística ainda não sejam realizados no Amapá. O debate promovido pelo vereador Marcelo Dias, foi alusivo ao Setembro Roxo, mês de conscientização da Fibrose Cística.

Texto: Edi Wilson Silva.
Fotos: Jaciguara Cruz/Rosivaldo Nascimento.
Secretaria de Comunicação/SECOM/CMM.