Prevenção: Teste do coraçãozinho é aprovado em Macapá.

por danielle.duarte — publicado 15/10/2015 01h16, última modificação 15/10/2015 01h16

       Foi aprovado por unanimidade na manhã desta terça-feira(06), durante sessão ordinária da Câmara de Vereadores, o projeto de Lei nº 021/2015-CMM, de autoria do vereador Diego Duarte, que obriga a realização do exame de Oximetria de Pulso, no âmbito do município.

       De acordo com o texto da matéria, o Exame de Oximetria de Pulso (conhecido também como Teste do Coraçãozinho), deve ser realizado, obrigatoriamente, por todos os hospitais e casas de saúde de Macapá, em crianças ainda nos berçários, ou alojamentos conjuntos, após as 24 horas de vida da criança.

    Esse procedimento indolor consiste na verificação dos níveis de oxigênio no sangue e pode detectar alterações sugestivas de doenças do coração e possibilitar que a criança seja encaminhada para diagnóstico e tratamento, antes mesmo de apresentar sintomas do problema.

     O autor da matéria, explica que a elaboração do projeto foi baseada nas informações da Sociedade Brasileira de Pediatria. Os dados apontam que, em cada mil crianças nascidas vivas, de uma a duas apresentam algum tipo de doença cardíaca congênita grave. O diagnóstico precoce, feito de preferência, antes que o recém-nascido receba alta da maternidade, é muito importante para reduzir as taxas de mortalidade por essas patologias.

       “Esse teste é uma medida extremamente importante para o acompanhamento da saúde das crianças, como forma de aumentar as oportunidades para que elas tenham melhor qualidade de vida. Ouvi isso de todos os médicos e especialistas, com quem conversei antes de elaborar esse projeto”. Afirma Diego Duarte.

       Por falta de ações preventivas, ainda é comum ocorrer que recém-nascidos tenham que retornar ao hospital após curto espaço de tempo com problemas, muitas vezes graves, que poderiam ter sido detectados e investigados antes da alta pós-parto.

      A Oximetria, conforme inúmeros estudos realizados dentro e fora do Brasil é uma dos mais eficazes procedimentos para evitar essa realidade.

        Após a aprovação na Câmara de Vereadores, o projeto segue agora para análise e sanção do prefeito da capital.

 

Com informações: ASCOM/ Ver. DIEGO DUARTE