Vereador Marcelo Dias faz homenagem e denomina banda da Guarda Civil Municipal de maestro Siney Sabóia

por Sec. Comunicação publicado 08/06/2021 21h32, última modificação 08/06/2021 21h32

“Uma grande é justa homenagem ao legado deixado pelo maestro; Uma homenagem à memória do músico exemplar e que eterniza o nome de Siney Sabóia na história musical do Amapá”. Essas são algumas das manifestações de apoio dos vereadores de Macapá ao Projeto de Lei nº 043/21-CMM, de autoria do vereador Marcelo Dias (Solidariedade), que denomina a banda da Guarda Civil Municipal de Siney Sabóia.

A matéria foi aprovada, por unanimidade, na 25ª Sessão Ordinária em ambiente virtual da Câmara Municipal de Macapá, desta terça-feira, 8 de junho. A maioria dos pares presentes na reunião parabenizaram Marcelo Dias pela iniciativa de homenagear o maestro que morreu aos 46 anos, no dia 16 de maio de 2020, vítima da Covid-19.

Na justificativa, Marcelo Dias argumentou que Siney Sabóia foi o grande maestro e regente da Banda de Música da Guarda Civil Municipal de Macapá. “Por 19 anos, ele conduziu a banda, com total comprometimento e dedicação”, observou o parlamentar.

O vereador lembrou que, durante a pandemia, o maestro ia com seu trompete tocar na frente das unidades de saúde, uma forma de levar alento as vítimas internadas por causa do Coronavírus e homenagear os profissionais de saúde. “Siney Sabóia tem uma passagem fantástica pela história da música amapaense. O maestro fez muitos arranjos para composições amapaenses e participou de várias gravações de CD´s pela Amcap – Associação dos Músicos do Amapá –. Um músico competente e exemplar“, reconheceu.

O maestro ensinou inúmeras pessoas a apreciar e tocar música. Dedicou parte da vida a educação musical no Amapá e é reconhecido como um dos maiores trompetistas da Região Norte.

Siney Saboia Moura nasceu em Portel, no Pará. É filho de Simeão Ferreira Moura e Rozinete Saboia Moura. Era casado com Samanda Nobre do Carmo Saboia e pai de Arthur Victor Nobre Saboia

A matéria segue agora para a sanção do prefeito Antônio Furlan (Cidadania).

Secom/CMM