Vereadores defendem presença da Guarda Municipal na fiscalização do trânsito de Macapá

por danielle.duarte — publicado 20/08/2015 14h15, última modificação 20/08/2015 14h15

          Durante sessão ordinária desta terça-feira(30), na Câmara Municipal de Macapá(CMM), os vereadores presentes na reunião debateram diversos assuntos de interesse da comunidade. 
       Uma das questões debatidas na reunião diz respeito à presença da Guarda Municipal nos serviços de fiscalização do trânsito de Macapá. 
        A proposta dos vereadores é que seja assinado um convênio entre a Guarda Municipal e Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac) para o fortalecimento das blitzes e fiscalizações no trânsito para reforçar o combate aos mototaxistas clandestinos e lotação.
     Os vereadores também destacaram questões como os freqüentes apagões de energia elétrica provocados pela Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA). 
           Para o vereador Antônio Grilo(PV), a situação está insustentável com a falta de energia elétrica todos os dias. O vereador João Henrique (PR) defendeu a melhoria de serviços na zona rural de Macapá, principalmente nas áreas de educação, saúde e segurança pública.
      O vereador André Lima(PSOL), demonstrou preocupação com os anúncios de demissão em massa de trabalhadores do comércio amapaense, que segundo informou o parlamentar, já foram mais de 3 mil demissões de lojistas só em 2015, reflexo da recessão e da crise econômica no país. 

Projeto de Lei
O vereador Marcelo Dias (PSDB) defendeu a implantação de um projeto de lei no âmbito municipal proibindo o uso de armas brancas em via pública. Dias garante que o objetivo é contribuir para a redução dos índices de violência na capital envolvendo crimes com o uso de facas. 
Projeto similar foi aprovado este mês no Rio de Janeiro, estabelecendo multa que varia de R$ 2,4 mil a R$ 24 mil, à pessoas que forem pegas portando faca, punhal, ou similares, cuja lâmina tenha mais de dez centímetros de comprimento. Chefs de cozinha com facas na mochila, por exemplo, não serão punidos.