Vereadores repudiam reajuste de tarifa de ônibus em Macapá

por Adriana Stephanie Amoras Ramos publicado 15/08/2019 13h36, última modificação 15/08/2019 13h36

O reajuste da tarifa de ônibus em Macapá, de R$ 3,25 para R$ 3,50, concedido pela justiça estadual, foi um dos principais temas debatidos pelos vereadores durante a 35ª sessão legislativa desta terça-feira, 13.

O presidente da Câmara Municipal de Macapá (CMM), vereador Marcelo Dias (PPS), declarou que os 23 vereadores são contrários ao reajuste. “A Câmara de Vereadores foi alijada do debate e mais uma vez o reajuste da passagem de ônibus foi decidido pela justiça".

Marcelo Dias reforça que em nenhum momento o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros no Amapá (Setap), e a Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac), encaminharam à CMM, a planilha com a proposta de reajuste tarifário. Ele classificou a qualidade do transporte público de Macapá como uma das piores do país. “A população espera ansiosamente pela licitação do transporte público, que vai por um ponto final nessas concessões precárias que existem hoje”.

O presidente da Comissão de Viação e Transportes da CMM, Japão Baía e o representante dos vereadores no Conselho de Transportes de Macapá, Rayfran Beirão, criticaram a CTMac por ter levado quatro meses para se manifestar depois que recebeu o pedido de reajuste da tarifa de ônibus. Nesse período, o Setap ingressou na justiça propondo o aumento, que foi acatado pela justiça nesta segunda-feira, 12.

Os vereadores presentes à sessão legislativa foram unânimes em manifestar opiniões contra o reajuste. O líder do Executivo Municipal na CMM, vereador Rinaldo Martins (PSOL), assegura que tanto a Prefeitura de Macapá, quanto a Câmara de Vereadores são contra o reajuste. Ele anunciou que o edital da licitação do transporte deve sair em outubro.

Texto: Edi Wilson Silva. 
Fotos: Rosivaldo Nascimento.
Secretaria de Comunicação/SECOM/CMM.